NE NOTÍCIAS

O corpo do gaúcho Celso Adão Portella, radialista e advogado, encontrado em setembro deste ano em um apartamento no bairro Suissa, Aracaju, foi liberado pelo Instituto Médico Legal (IML) nesta segunda-feira (23).

O resultado dos exames para determinar a causa da morte ainda estão pendentes.

Arthuro Paganini|ASN

Ocadáver estava dentro de uma geladeira, descoberto por oficiais de Justiça durante uma ação de despejo.

Uma mulher de 37 anos, técnica de enfermagem, foi detida e teve a prisão preventiva decretada. No imóvel, também morava sua filha de 4 anos, que foi encontrada com sinais maus-tratos.

Celso, natural de Ijuí, no Norte do Rio Grande do Sul, trabalhava em instituições de ensino superior privado em Sergipe. Hoje ele teria 80 anos.