Assessoria

A jornalista Gleice Queiroz compareceu à delegacia acompanhada do seu advogado, Augusto Magalhães, nesta segunda-feira, 29, e mais uma vez foi negado o acesso aos autos. A delegada do caso informou que os equipamentos ainda vão para a perícia. No mandado de busca e apreensão consta autorização da Polícia Civil a ter acesso a armazenadores de dados e outros eletrônicos, da jornalista Gleice Queiroz, que não tem relação com o objeto das investigações.

Gleice Queiroz|Reprodução

É muito grave porque atenta contra as fontes.

O instrumento do mandado de busca e apreensão teve como autorização apreender armas e munições ao contrário do que foi anunciado à imprensa que foi para apreensão de celular e notebook, ao utilizar a fundamentação legal diferente do que prevê o art.240 do CPP.