7up7down

A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) confirmou nesta terça-feira, 14, em resposta a uma reportagem publicada pelo O Globo, que fez uso de um sistema capaz de monitorar a localização de qualquer indivíduo através do número de telefone celular.

Antonio Cruz | Agência Brasil

A ferramenta em questão é o programa FirstMile, desenvolvido pela empresa israelense Cognyte, e foi adquirida durante a gestão de Michel Temer (MDB) por R$ 5,7 milhões. Com a capacidade de monitorar até 10 mil celulares por ano, o programa permitia o monitoramento de qualquer pessoa sem a necessidade de uma justificativa oficial.

A Abin emitiu uma nota (ao final da matéria) informando que o contrato referente ao programa secreto foi encerrado em maio de 2021.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nas Redes

Após a publicação da reportagem de O Globo, o ex-diretor da Abin e deputado federal pelo PL-RJ, Alexandre Ramagem, se manifestou em suas redes sociais. Em sua postagem, Ramagem declarou que o programa em questão havia sido adquirido durante a gestão anterior.

Jair Bolsonaro e Alexandre Ramagem – Valter Campanato | EBC

No entanto, segundo O Globo, a contratação do programa ocorreu a apenas cinco dias do início do governo Bolsonaro e sua utilização foi mantida por um período de três anos.

Veja a postagem:

Reprodução

Leia nota divulgada pela Abin nesta terça-feira, 14 de março de 2023:

“A Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) informa que o contrato 567/2018, de caráter sigiloso, teve início em 26 de dezembro de 2018 e foi encerrado em 8 de maio de 2021. A solução tecnológica em questão não está mais em uso na ABIN desde então”.

“Atualmente, a Agência está em processo de aperfeiçoamento e revisão de seus normativos internos, em consonância com o interesse público e o compromisso com o Estado Democrático de Direito”.