7up7down

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Márcio Macêdo, esteve envolvido em uma intensa agenda no estado de Sergipe ao longo de 2023, conforme aponta reportagem assinada por Danielle Brant na coluna Painel da Folha de São Paulo deste sábado, 13. De acordo com os dados disponíveis no sistema eletrônico de agendas de autoridades do Executivo, Macêdo dedicou, em média, um dia por semana a compromissos ligados ao estado que construiu sua base política.

Márcio Macêdo 29.ago.2023 – Foto: Rafa Neddermeyer|Agência Brasil

A matéria revela que o ministro realizou pelo menos 6 encontros com o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, e outros 6 com o governador Fábio Mitidieri. Além disso, Macêdo recebeu prefeitos de municípios sergipanos, concedeu entrevistas à imprensa local e participou de atos no estado.

O ministro se reuniu pelo menos seis vezes com o governador Fábio Mitidieri (PSD). A agenda registra ainda representantes do Congresso Nacional, como o senador Rogério Carvalho (PT-SE) e a deputada Delegada Katarina (PSD-SE), além de deputados estaduais e vereadores.

O ministro recebeu prefeitos e deu entrevistas a emissoras de televisão e rádio de Sergipe e participou de atos no estado. Em maio, por exemplo, esteve na entrega de tratores e implementos agrícolas na Sede da Codevasf em Sergipe, visitou hospitais e as instalações da Universidade Federal de Sergipe.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Apresença mais recente do ministro em Sergipe foi marcada pelo ato de assinatura da Ordem de Serviço para a Construção da Ponte que liga Penedo/AL a Neópolis/SE, na manhã deste sábado. A reportagem destaca que Macêdo já esteve presente no lançamento da licitação dessa ponte em outubro do ano passado.

Macêdo também marcou presença, em outubro, no lançamento da licitação para a construção da ponte interligando Neópolis (SE) a Penedo (AL), em evento realizado no Ministério dos Transportes, comandado por Renan Filho.

No entanto, a intensidade da agenda do ministro no estado não escapou de controvérsias. Recentemente, Márcio Macêdo foi alvo de críticas devido a uma viagem de servidores do seu gabinete ao Pré-Caju, financiada com recursos públicos, gerando uma crise no ministério. As informações oficiais afirmam que os recursos foram devolvidos aos cofres públicos.

A viagem dos servidores com recursos públicos —devolvidos posteriormente— gerou uma crise no ministério, pois eles não tinham agenda oficial na capital sergipana e apenas participaram do evento Pré-Caju.

A coluna Painel questionou a Secretaria-Geral da Presidência da República sobre a constância da agenda de Macêdo em Sergipe, mas até o momento, não houve resposta oficial.

Com informações da Folha